"A saudade"

Ainda folheávamos o cardápio, quando, na mesa ao lado, alguém discursava convicto:

- O celular é o responsável pelo fim de uma das coisas mais importantes da vida – a saudade!

Joana e eu rimos com discrição, mas, logo após, concordamos com os argumentos do rapaz, mesmo quando ele exagerava ao tentar enfeitar a entonação de sua voz, algo muito comum nos acadêmicos quando se falta originalidade e sobra erudição.

No entanto, acredito que realmente a saudade é uma das coisas essenciais que temos. E se o poeta tem razão quando diz que a vida é “a arte do encontro”, é urgente cultivar a saudade, não convém ficarmos visíveis demais.

Acho que os mais belos encontros nascem de alguma distância, ao sentirmos algo se perder, no mistério que confunde as despedidas demoradas; nas esperas que nos atormenta, mas assanha as janelas do nosso espírito.